Máscaras descartáveis podem virar asfalto.


As máscaras salvam vidas na pandemia, mas quando descartadas se transformam em lixo tão problemático quanto qualquer outro – e foi para resolver tal dilema que pesquisadores do Instituto Real de Tecnologia de Melbourne (RMIT University), na Austrália, reaproveitaram máscaras descartadas como matéria-prima para construção de estradas.

Triturando as máscaras faciais descartáveis e misturando com entulhos processados de construções, o material, segundo o estudo, atende os padrões de segurança da engenharia civil para a construção de novas vias.

O reaproveitamento resolve um problema cada vez maior no contexto da atual pandemia, já que o descarte incorreto de máscaras já vem se tornando problema ambiental grave atual – com os equipamentos de proteção individual sendo cada vez mais encontrados em praias do país e do mundo.

Segundo o experimento, o uso das máscaras faz com que o material final para pavimentar as estradas fique ainda mais resistente e rígido do que o asfalto tradicional.

O experimento afirma que um quilômetro de estrada em duas pistas utiliza cerca de 3 milhões de máscaras reaproveitadas no material de pavimentação desenvolvido pelos pesquisadores australianos.

O reaproveitamento de tais materiais é mais do que útil, e sim necessidade urgente: de acordo com levantamento divulgado pela ONG Ocean Conservancy, mais de 129 bilhões de máscaras descartáveis são jogadas fora mensalmente no mundo – muitas indo parar nos oceanos.

Exemplo para outros equipamentos despejados
“Esperamos que isso abra a porta para novas pesquisas, para trabalhar através de maneiras de gerenciar riscos à saúde e segurança em escala e investigar se outros tipos de EPI também seriam adequados para reciclagem”, afirmou Dr. Mohammad Saberian, primeiro autor do estudo, lembrando que o experimento é só o começo de tal trabalho pelas “estradas recicladas”.

“Se pudermos trazer o pensamento da economia circular para este problema massivo de resíduos, podemos desenvolver as soluções inteligentes e sustentáveis ​​que precisamos”, confirmou o professor Jie Li, líder da Escola de Engenharia da RMIT.

Intitulado “Reaproveitamento de máscaras faciais descartáveis da COVID-19 para base de pavimentação”, em tradução livre, foi publicado na revista Science of the Total Environment.

Fonte: Hypeness - https://www.hypeness.com.br/




Veja também



O que é tecnologia limpa?
Casa ecológica feita com 7 mil pneus é construída em São Paulo
Energia solar dobra capacidade de geração no Brasil
16 contêineres viram coworking público sustentável em Salvador