Você sabe qual a importância do engenheiro sanitarista?




A engenharia sanitária é a área que trata da exploração e do uso dos recursos hídricos. Os engenheiros sanitaristas são os profissionais responsáveis pelo diagnóstico, elaboração e coordenação de projetos de saneamento básico e de obras sanitárias.

Os engenheiros desta área atuam promovendo o desenvolvimento sustentável, além de captação, tratamento e distribuição de água, com a elaboração de projetos de captação dos recursos hídricos, com tecnologias e métodos de tratamento da água, com a fiscalização do tratamento e verificação da qualidade da água e de projetos de distribuição da água potável para a população, estabelecendo as melhores formas e métodos para tal e assim melhorar a qualidade de vida da população.

O trabalho dos engenheiros sanitaristas é muito importante para a área social, saúde e ecológica, pois além de visar o bem estar social, também é uma forma de prevenir doenças, sempre visando à preservação e diminuição dos danos ambientais, promovendo um desenvolvimento sustentável.

A necessidade de profissionais nessa área é sempre grande, devido à precariedade dos sistemas de saneamento básico e de abastecimento de água potável em diversas regiões.

Atualmente, também cresce o número de empresas privadas preocupadas com a situação do meio ambiente e suas consequências a médio e longo prazo e com as pressões legais acerca da questão da poluição. Essas empresas caracterizam um novo mercado para o engenheiro sanitarista, que baseado em seus conhecimentos pode propor soluções para alguns desses problemas. As ONGs ligadas ao meio ambiente também precisam de pessoas na área sanitária.

Fontes:
www.brasilprofissoes.com.br
http://portalclubedeengenharia.org.br/2010/07/13/engenheiros-sanitaristas-e-suas-competencias/




Veja também



Fique atento, com a chegada do verão temos o aumento no número de pragas urbanas
TRITEC recebe treinamento sobre gerenciamento de resíduos sólidos.
A qualidade da água e a relação com a saúde
Os colaboradores dos postos de combustíveis já estão capacitados conforme a portaria Fepam 22/2019?